Setembro Amarelo: Vamos falar sobre Saúde Mental

quarta-feira, 5 de setembro de 2018 |

|
Campanha de Prevenção ao Suicídio: Setembro Amarelo

Setembro Amarelo é uma iniciativa da CVV (Centro de Valorização a Vida) junto ao Conselho Federal de Medicina e Associação Brasileira de Psiquiatria. Durante todo o mês de setembro se fala muito sobre o suicídio e sua prevenção. Então, você que está do outro lado saiba: não está sozinho.


Eu não sabia muito sobre o Setembro Amarelo e para ser sincera, era algo que passava despercebido para mim quando mais nova, suicídio e problemas mentais eram coisas distantes da minha realidade - ou eu pensava ser. Mas, já falei bastante sobre saúde mental aqui, autoestima e quem me conhece sabe que a história era outra.

Eu fechava os meus olhos para isso e deixava que a bomba relógio fizesse seu tique-taque sem imaginar quão próxima ela estava de explodir. E um dia ela explodiu. Começou com crises de choro incontroláveis, absolutamente tudo me fazia chorar, depois eu não tinha mais vontade de sair, conhecer gente nova, então começaram as quedas de cabelo e os lapsos de memória.

Mas, acreditem quando eu digo que aparentemente eu estava bem. Ninguém poderia dizer que havia algo de errado comigo. E esse é o sintoma que mais assusta!

Foi uma crise de ansiedade com início de quadro depressivo. Uma menina de 20 anos, realizando o sonho de estudar em uma faculdade o que sempre quis e com amigos e família que a apoiava, que estava entrando em depressão. Por quê? Não sei. E até hoje, após quase dois anos, tento não pensar nisso.

Eu e a depressão já éramos antigas conhecidas, já tenho uma história com ela bem antiga, mas prefiro não me lembrar muito, pois se meu cérebro apagou muita coisa sobre, é porque não é necessário que eu tenha isso no meu HD.

Eu não cheguei a ter pensamentos propriamente suicidas, mas eu pensava muito em simplesmente desaparecer. E não era da cidade ou faculdade, era realmente queria sumir da terra. Imagino que deva ser o primeiro estágio.

Contudo, eu consegui escapar, com várias marcas, mas de certa forma ilesa. Eu ainda tenho crises de ansiedade e todo dia é uma luta diária para permanecer bem, mas posso afirmar com total certeza e direito de causa que: o pior já passou.

O que quis dizer com tudo isso é que: não é mimimi. Eu devo admitir que demorei muito para desmistificar isso, eu era uma das que militavam e batiam no peito dizendo que tudo isso era frescura. Sinto vergonha hoje, mas não desistam de mim, pois, mudei muito. Precisei descer o vale para perceber que não é frescura.

Saúde mental é um assunto que deve ser debatido, dentro e fora da internet. Na internet com suas ondas de ódio gratuitas que vem e vão esporadicamente fica difícil muitas vezes, mas não impossível: tem muita gente boa por aí disposta a ajudar.

Não existe o conceito saúde total se não pensarmos na saúde mental, ela não se separa mais da física. Logo, vou explicar alguns conceitos ligados a saúde mental e transtornos mentais para que possamos entender um pouco mais sobre o assunto a partir de estudos científicos e entrar neste mês mais conscientes.


Saúde mental, segundo a OMS é não tem um significo específico, mas é sim um estado de equilíbrio consigo mesmo e com o mundo externo (social e ambiental), onde o indivíduo torna-se capaz de lidar com os problemas e adversidades da vida de forma equilibrada e saudável

Distúrbio/transtorno mental, de acordo a Associação Americana de Psiquiatria, é uma síndrome que se caracteriza por perturbação clínica significativa na cognição, regulamentação emocional ou comportamental do indivíduo que causa disfunção no âmbito psicológico, biológico e de desenvolvimento ao funcionamento mental.

Ansiedade, afirma Castillo et al (2000) que é o sentimento sem fundamento e profundo de medo e apreensão de algo que ainda não veio a acontecer, gerando desconforto por antecipação.

Depressão, a partir de Telles (2017) não é um problema de cunho apenas psicogênico, desordem emocional, mas uma doença que causa disfunções fisiológicas e psicológicas nos portadores. Ainda mais, Alline Campos, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP diz que é algo relacionado ao passado e que traz peso emocional, causa desconfortos e gera disfunções psicogênicas e físicas, além de profunda tristeza e incapacidade de percepção pessoal. Sendo um gatilho importante para pensamentos suicidas.

Estress, Margis et al (2003) afirma que é o estado gerado pela percepção de estímulos que provocam excitação emocional ao indivíduo e, ao perturbarem a homeostasia, disparam um processo de adaptação caracterizado, entre outras alterações, pelo aumento de secreção de adrenalina produzindo diversas manifestações sistêmicas, com distúrbios fisiológico e psicológico.

Suicídio, para Vidal, Gontijo e Lima (2012) é um problema de saúde pública no Brasil. É o processo que envolve questões mentais e físicas complexas, geralmente sendo pacientes que sofrem de transtornos como depressão. É o ato de tentar tirar a própria vida com o intuito de trazer paz e calma mental a problemas enfrentados. Pesquisas afirmam que os suicidas não querem morrer de fato, só querem que aquilo que os perturba mentalmente pare.

● 

Após entender cada um desde termos, ficou claro mais uma vez de que suicídio e outros distúrbios não são frescura, muito menos mimimi. Saúde mental é assunto sério. A pessoa do seu lado agora pode estar tendo pensamentos suicidas.

É necessário empatia, confiança, carinho e necessidade de entender a respeito, e é por isso que durante todo o mês de setembro vamos ter posts temáticos debatendo sobre saúde mental e assuntos pertinentes. 

Se você caiu de para-quedas aqui neste post, ele faz parte de uma blogagem coletiva com intuito de falar sobre assuntos pertinentes a saúde mental neste mês de prevenção ao suicídio, você pode acompanhar por essa categoria. Inclusive, tem mais gente nessa comigo (que eu admiro): Memorialices, Colorindo Nuvens, Sai da Minha Lente, Ventos de Maio e A World to ReadE logo elas vão debater esses assuntos lá no cantinho delas, também.

Contato para o CVV

Se você está se sentindo mal, teve qualquer pensamento ruim acerca da sua vida, não exite: ligue 188 ou acesse cvv.org.br, ou também pode me contatar pelo instagram @amavelgirassol – falar sobre o assunto é a melhor solução.

Você é importante!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
American Psychiatric Association. DSM-5: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 5 ed, Porto Alegre: Artmed, 2015.
GRACIOLLI, J. Brasil vive surtos de depressão e ansiedade. Disponível em: <https://jornal.usp.br/atualidades/brasil-vive-surto-de-depressao-e-ansiedade/> Acesso em 05 de setembro de 2018.
MARGIS, R. et al. Relação entre estressores, estresse e ansiedade. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, v 25, p 65-74, abril, 2003.
TELES, M. L. S. O que é depressão? 1 ed, São Paulo: Braziliense, 2017. 80 p.
CASTILLO, A. R. G. L. et al. Transtornos de ansiedade. Revista Brasileira de Psiquiatria, vol 22, n 2, dez, 2000.
VIDAL, C. E. L.; GONTIJO, E. C. D. M.; LIMA, L. A. Tentativas de suicídio: fatores prognósticos e estimativa do excesso de mortalidade. Cadernos de Saúde Pública, vol 29, p 175-187, jan, 2013.

O que acha do projeto Setembro Amarelo? Deixe nos comentários.




6 comentários:

  1. Poxa, que post importante! É essencial conscientizar as pessoas sobre o assunto e fico muito feliz com sua iniciativa. Vou ver se faço o mesmo lá no blog! :)

    Ah, e caso você precise de alguma ajuda, saiba que eu estou aqui para o que precisar <3

    Cheiro de Pipoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, faça sim! É um tema tão importante, deve ser discutido, pois, como diz a própria campanha: falar sobre o assunto é a melhor decisão.

      E muito obrigada pelo apoio, saiba que o sentimento é mútuo! Estamos todos juntos nessa! <3 Obrigada pela visita! <3

      Excluir
  2. Setembro amarelo é, sem dúvida, uma das melhores campanhas já criadas. Claro que existe por aí muita hipocrisia, com pessoas que apoiam quem sofre com problemas mentais apenas durante esse mês, mas tenho esperança naqueles que sempre está se preocupando em ajudar, independente de estarmos no meio de uma campanha ou não.
    Sei muito bem como é sofrer com depressão e ansiedade num nível quase insuportável, e por isso sempre tento trazer esse assunto à tona, mas de uma forma a ajudar quem precisa, assim como eu já precisei :)
    Seu post ficou lindo! Esse projeto foi um inciativa ótima sua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ainda existe muita hipocrisia. No mês de setembro é "juntos nessa" e em outubro "é só frescura". Mas, ainda tento manter uma chama acesa da esperança e que essa campanha vai conscientizar muita gente sobre saúde mental.

      Só quem sabe, verdadeiramente entende, né? Acho legal que você sempre deixou isso transparecer, como naquele post da potterweek que fez e ficou lindo!
      Muito obrigada pelo elogio, fiquei até sem jeito rs. Estou esperando seu post ansiosa rs

      Excluir
  3. Acho o setembro amarelo super importante (essencial até!), pois nos ajuda a compreender mais e melhor quem sofre de depressão, ansiedade e outros distúrbios que infelizmente ainda são tratados como frescura pela nossa sociedade (o que felizmente vem mudando ao longo dos anos). E ter um texto assim tão informativo e acessível é simplesmente incrível, por isso te parabenizo pela iniciativa junto com as demais blogueiras que estão participando desta postagem coletiva (e aguardo ansiosamente para ler os outros posts do tema)
    Beijinhos, boa semana, fique bem e qualquer coisa é só chamar <3
    Isabelle - https://livrosgatoscafe.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou colar seu comentário na minha testa, Isabelle! Pois, é exatamente o que eu quero passar, sabe? Obrigada por entender!

      E obrigada pelo elogio, mas ainda mais por ceder ajuda! É isso o que eu quero ainda mais passar. Obrigada mesmo! <3

      Amo ter você por aqui.

      Excluir



© Copyright 2018. Amável Girassol - Todos os direitos reservados -